Voltar para Vídeo 018

Resenha_005: É Aquela Base




Vídeo: É Aquela Base

Como surgiu a contagem?
Quando e por que as pessoas sentiram a necessidade de contar coisas?

     No vídeo “É aquela base” da série “Isto é Matemática”, o matemático Rogério Martins vai em busca de respostas. Veremos que uma das primeiras causas de o homem inventar a contagem foram as ovelhas. Afinal, teria de haver algum meio dos pastores controlarem o tamanho dos seus rebanhos e saberem se alguma das ovelhas fugiu, foi roubada ou algo do tipo, não é mesmo?
     Assim veremos as diversas maneiras que os homens utilizavam para contar, utilizando mãos e pés para valores menores e traços e outros símbolos a partir do momento que os valores começaram a aumentar.

     Rogério nos fala também das várias bases existentes para realizarmos essas contagens. A base mais conhecida no mundo, e aquela que nós utilizamos, é a base 10, que forma o sistema decimal. Mas existem, ainda, outras bases que utilizamos frequentemente, apesar de não nos darmos em conta: a base 12, quando compramos uma dúzia de ovos, por exemplo, e a base 60, que usamos para medir ângulos, coordenadas geográficas e para contar o tempo (segundos, minutos e horas).

     Mas por que a base 10 – decimal- é aquela que nós utilizamos? Quais são as vantagens que fazem dela a base mais utilizada no mundo? E por que, então, utilizamos a base 12 e a 60 para contarmos dúzias e horas? Por que não usar também a base 10?
Assista ao vídeo “É aquela base” e descubra essas e outras curiosidades! Não perca!
     Pois isto, meus amigos,

ISTO É MATEMÁTICA!!



Por Andressa Wickert Kreutz
aluna do PIC – OBMEP









Vídeo: É Aquela Base
Título da Resenha: O Alicerce da Base

     O vídeo “É Aquela Base” faz parte da série Isto É Matemática, uma produção da Sociedade Portuguesa de Matemática, que tem como objetivo transmitir conhecimento sobre as bases numéricas e suas origens, objetivo esse plenamente alcançado.

     No vídeo vemos que a origem do processo de contar se deu com a necessidade de enumerar a quantidade de ovelhas em um rebanho. Para isso, o pastor associava cada ovelha a um dedo da mão, o que o permitia verificar se não havia perdido nenhum animal; porém, quando a quantidade de ovelhas era maior que dez, o pastor se deparava com um problema. Para contar esses rebanhos maiores que a quantidade de dedos das mãos, ele passou a fazer riscos na terra que representavam o agrupamento de dez dedos. Assim surgiu a base decimal, na qual a agrupação é feita a cada grupo de dez.

     A base decimal do sistema Indo-arábico é a que mais utilizamos nos dias atuais, ela é organizada também pela posição do dígito, o que significa que ela é decimal posicional e, dependendo da posição ocupada, se tem um valor diferente. Mas o vídeo nos mostra que, além desta base já conhecida por nós, outros povos desenvolveram bases diferentes com origem nos dedos, por exemplo, a base vinte (onde se usava os dedos das mãos e dos pés), a base cinco (com uso apenas de uma mão) e a base oito (em que se contava a partir dos espaços entre os dedos das mãos).

     E você, tem base do quanto as bases numéricas são importantes?

Assista ao vídeo e divirta-se!



Por Gabriela Rodrigues Andrade
aluna do PIC – OBMEP









Vídeo: É Aquela Base
Título da Resenha: Métodos de Contar e Bases Numéricas

      O vídeo É Aquela Base, promovido pela Sociedade Portuguesa de Matemática e com apresentação do matemático Rogério Martins, nos mostra um dos fundamentos básicos da Matemática: contar! Não se sabe onde surgiram os números, mas todos os povos sentiam necessidade de contar. Para isso, desenvolveram os mais diferentes modos de contarem os elementos de um grupo.

      Como em uma viagem no tempo, aprendemos como os métodos para contarmos foram evoluindo desde os povos primitivos até chegarmos aos dias atuais, em que não é mais possível viver sem contar.

      Neste vídeo, também somos convidados a entender mais sobre as bases numéricas. Por que usamos a base 10 ao invés da base 5? É possível fazer contas usando outras bases? Usamos outras bases no nosso dia a dia? São perguntas que podem ser respondidas assistindo ao vídeo.

       “É Aquela Base” é um vídeo bastante interessante, pois nos mostra as diferentes bases numéricas que usamos no nosso dia a dia e também nos mostra como surgiu os métodos de contar.

É sempre muito bom aprender sobre a origem das coisas que usamos na matemática!



Por Jonas Cassiano Costa
aluno do PIC – OBMEP









Vídeo: É Aquela Base

     É aquela base é um episódio da série portuguesa Isto é Matemática, produzida pela Sociedade Portuguesa de Matemática. A série, apresentada pelo Matemático Rogério Martins, busca trazer a matemática para o cotidiano de uma maneira simples e divertida, utilizando vários casos e curiosidades do dia a dia.

     Neste episódio, há a apresentação da talvez mais elementar forma de contar: o número de ovelhas num rebanho, exibindo como os nossos antepassados contavam, usando desde os dedos das mãos até finalmente os símbolos. Guiando o telespectador, Martins mostra como os pastores contavam e fala da necessidade da criação do tão famoso “1”, para servir de unidade para a contagem, além de apresentar as diversas bases numéricas usadas antigamente (decimal, binária, sexagesimal, base 5, base 8 etc), e como algumas ainda são amplamente usadas (como a binária nos computadores, ou a sexagesimal nos relógios).

     Uma aula bem estruturada e divertida, que se aprofunda no assunto e não traz complicações.

Ótima recomendação para quem quer aprender sem dificuldade!



Por Marcantônio Soares Figueiredo
aluno do PIC – OBMEP









Título da Resenha: “Matemática Espontânea”
Subtítulo: Contando Ovelhas e Aprendendo Matemática
Vídeo: É Aquela Base – Série “Isto É Matemática” – Sociedade Portuguesa de Matemática

      A distância geográfica entre Brasil e Portugal não fará com que este interessante vídeo da Sociedade Portuguesa de Matemática não conquiste seu devido valor em nossos estudos e (por que não?) em nosso lazer. Apresentado pelo professor e matemático Rogério Martins, o incrível curta nos leva à mais primitiva forma de “fazer matemática”: a arte de contar!

      Esta arte, que tão naturalmente nos permeia, tem seus primórdios discutidos e ilustrados pelo divertido vídeo. Roupas características e filmagem em ambientes diferentes dos da maioria dos vídeos de matemática são apenas algumas das regras desta maravilhosa explanação, que talvez tenha por maior objetivo mostrar que a matemática está incrustada em nosso cotidiano.

      E não paramos por aí! De forma altamente espontânea podemos acompanhar a criação do sistema de base decimal, assim como a utilização de outras bases. Embora sejam menos de dez minutos de vídeo, ainda dá tempo de aprender, também, sobre os utilíssimos sistemas posicionais, como o indo-arábico, altamente utilizado por nós.

      Faça descobertas curiosas, como o porquê da tradicional “dúzia de ovos”, dê boas risadas, viaje no tempo e, principalmente, aprenda muito!

Não vale deixar de assistir!



Por Noemi Zeraick Monteiro
aluna do PIC – OBMEP




Link permanente para este artigo: http://clubes.obmep.org.br/blog/video-018/resenha_005/

Deixe uma resposta