Moedas de Troca – A moeda de um país

A moeda de um país

Na Sala inicial comentamos rapidamente que existem diferentes definições de "moeda". Uma das definições mais utilizadas é aquela que associa à moeda o significado de "dinheiro em circulação em um país"; nesse caso é comum utilizar a expressão "moeda nacional".
Em geral, cada país tem sua própria moeda – por exemplo, no Brasil, utiliza-se o Real; no Japão, o Iene; na Argentina, o Peso argentino; na Rússia, o Rublo; na China, o Yuan; na Dinamarca, a Coroa; no México, o Peso mexicano; e é o próprio país que decide qual o tipo de moeda que vai usar: a maioria tem dinheiro de metal (as moedas como a do Tio Patinhas) e dinheiro de papel (as cédulas ou papel-moeda).
Quase sempre, a respectiva moeda de um país é emitida e controlada pelo governo desse país e é o governo que pode fixar e controlar o valor dessa moeda. Os países têm geralmente o monopólio da criação de moeda, apesar de alguns países partilharem moedas com outros.

  • Em 1999, vários países da Europa se uniram e criaram o Euro, moeda única. Atualmente, o Euro é usado por dezessete nações, entre elas a Alemanha, a França, a Espanha, a Grécia, a Itália e Portugal.

Agora, veja: se cada país tem sua moeda e diferentes moedas podem ter valores diferentes, se você viajar do Brasil para os Estados Unidos, por exemplo, você terá que comprar dólares para poder fazer compras naquele país, não é?

Já parou para pensar como se dá esse tipo de compra?

Pois bem! Aqui faz-se necessário conhecer o que é câmbio.

Câmbio

De uma forma bem simples, câmbio é a "troca da moeda de um país pela moeda de outro país". Essa troca é feita a partir de um valor referencial denominado taxa de câmbio. Assim, de maneira informal, a taxa de câmbio é o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias de outra moeda.
De maneira mais formal, segundo este site,

Taxa de câmbio é referência em valor da moeda nacional com relação à moeda estrangeira. Assim, no Brasil a taxa de câmbio representa o preço, em moeda nacional, de uma unidade de moeda estrangeira, normalmente o dólar. Uma elevação da taxa de câmbio representa uma desvalorização do real com relação ao dólar. Ao contrário, uma diminuição da taxa de câmbio representa uma valorização do real com relação ao dólar.

Parece complicado, mas na realidade não é tão complicado assim…
Veja o vídeo abaixo para entender um pouco melhor do que estamos falando.


Um vídeo para ajudar…


Descomplicando a Economia – Taxa de Câmbio

Viram que interessante?

E, de fato, não é tãããããão complicado!


Depois de assistir ao vídeo, dúvidas podem ter surgido:

  • No caso da troca de figurinhas citada no vídeo, a referência de quanto valia as figurinhas foi estipulada pelos colecionadores que queriam trocá-las. E no caso da taxa de câmbio, como a referência é definida?
  • O que faz as moedas receberem valores diferentes em cada país? Por que 1 Dólar, 1 Euro, 1 Peso e 1 Real não valem a mesma coisa?

Diariamente somos bombardeados pelos meios de informação sobre a alta do Dólar, o preço do Real, a baixa do Euro e por aí vai. E para entender o porquê de as moedas terem diferentes cotações é preciso imaginá-las como uma mercadoria qualquer, pois quando deixa seu país de origem e é investida em outro país, uma moeda é vista exatamente como um produto – um pão, um sapato, um brinco de ouro. Dessa forma, tal como um pão, um sapato, um brinco de ouro, a demanda dessa moeda vai determinar seu valor. A lei da oferta e procura também atua em moedas e faz com que, diariamente, o valor de cada moeda altere, tornando-a mais valorizada ou mais desvalorizada de acordo com sua existência no mercado de um determinado país.
E, para se saber o quanto uma moeda está valorizada ou desvalorizada em relação à outra moeda, toda moeda tem uma cotação de compra e de venda.
Para entendermos um pouco mais, vejamos o seguinte texto:

Em termos de mercado, a taxa de câmbio pressupõe sempre duas cotações: uma de venda e outra de compra da moeda base. Para um banco ou uma instituição de crédito, a taxa de câmbio de venda é o preço que a mesma cobra para vender a moeda estrangeira, já a taxa de câmbio de compra reflete o preço que essa instituição aceita pagar pela moeda estrangeira. As instituições que trabalham com câmbio sempre fazem a cotação de venda superior à cotação de compra.
Para as divulgações das taxas de câmbio e de acordo com as convenções em vigor, as cotações de venda, do ponto de vista do cliente bancário, são apresentadas à esquerda das cotações de compra (por exemplo, cotação EUR/USD de 1,5326/1,5328). O cliente vende sempre a moeda base ao valor mais baixo e compra sempre ao valor mais alto. O diferencial entre o valor de compra e o valor de venda é, assim, um indicador de liquidez da moeda.

Texto adaptado de:
https://clientebancario.bportugal.pt/diferencial-de-compra-e-venda
(Último acesso em 05/03/18)

Vejamos dois exemplos para clarear nossas ideias.

Se for apresentada a cotação EUR/USD de [tex]1,5326/1,5328[/tex] significa que:

  • Se alguém quiser vender um euro, receberá [tex]1,5326[/tex] dólares (valor mais baixo), mas se quiser comprar um euro, terá de entregar [tex]1,5328[/tex] dólares (valor mais alto).

Assim, supondo que uma pessoa se dirige ao banco para comprar dólares em troca de euros, deverá ter em consideração a cotação EUR/USD que se encontra à esquerda, dado que vai vender euros, a moeda base.
Portanto, se a cotação apresentada for [tex]1,5326/1,5328[/tex] e o cliente quiser comprar um montante em dólares equivalente a [tex]2500[/tex] euros, deverá escolher a cotação:
[tex]\qquad \boxed{1\ EUR = 1,5326\ USD}[/tex] (preço de venda do euro).
Dessa forma,
[tex]\qquad 2500\ EUR = 2500 \times 1,5326 = 3831,50\ USD[/tex],
ou seja, com a venda de [tex]2500[/tex] euros receberá [tex]3831,50[/tex] dólares.

Deu pra clarear um pouco mais?

Imagine agora que você quer comprar um notebook pela internet em um site americano.

  • O valor do equipamento desejado por você é [tex]U\$\ 2000,00[/tex] e a cotação cambial do seu cartão de crédito é que o dólar está valendo [tex]R\$\ 3,1296[/tex].

Dessa forma, qual o valor desse aparelho em reais?
Bastará você efetuar a multiplicação [tex]2000 \times 3,1296[/tex], que resultará em [tex]R\$\ 6\ 259,20[/tex]. A esse valor ainda será acrescida a taxa de frete e demais impostos.

Não é tão difícil como parece, ou pelo menos como muita gente explica por aí…
Agora, entenda que a cotação de determinada moeda varia muito ao longo de um dia e isso se deve a uma série de fatores econômicos e outras coisas mais. No entanto, o mais importante é você entender a ideia principal do que vem a ser câmbio.

Vamos às nossas atividades!!

Complete a tabela da figura a seguir com o nome das moedas dos países citados.

a) Compare as cotações das moedas dos países citados na Atividade 1 com o Dólar americano para o dia de hoje e identifique o país que possui moeda com maior desvalorização e o de menor desvalorização frente ao Dólar americano.

b) Construa um gráfico de barras verticais e outro em linha poligonal mostrando a variação das cotações dessas moedas perante o Dólar americano.
Na opinião de vocês, qual dos dois tipos de gráfico expressa melhor esta informação? Por quê?

Construa uma planilha no Excel que possibilite a conversão das moedas dos países citados na Atividade 1 para o Dólar americano considerando a cotação do dia de hoje.

Você sabia que no Brasil existem outras moedas que foram criadas além do Real?
Leia a reportagem a seguir.

Sem nenhum banco, cidade do Piauí cria moeda própria para girar economia

Carlos Madeiro Do UOL, em Maceió (AL) [tex]20/03/2014[/tex]
Sem bancos públicos ou privados, os moradores de São João do Arraial (a [tex]200[/tex] km de Teresina, no Piauí) tiveram de improvisar e criar sua própria moeda: o Cocal.

A pequena cidade, com pouco mais de [tex]7\ 000[/tex] habitantes, foi buscar o sucesso dos bancos comunitários como fórmula para garantir pequenos financiamentos e fazer girar recursos na economia. Em dezembro de [tex]2008[/tex], foi fundado o Banco Comunitário dos Cocais, que criou a moeda paralela: o Cocal.
Tudo começou com [tex]R\$\ 1\ 500,00[/tex] doados pelo Instituto Palmas (um dos pioneiros e referência em bancos comunitários) para circular na economia. Hoje existem [tex]25[/tex] mil cocais circulando em São João do Arraial, que ajudam a aquecer a economia.

Extraído de UOL- Economia

Agora é com vocês!

a) Pesquisem mais sobre o Cocal e procurem entender como essa moeda criada paralelamente ao Real tem tanto valor nas compras realizadas naquela cidade;

b) Dê exemplos de situações de compras onde se utiliza o Cocal;

c) Estabeleça uma cotação para câmbio do Cocal em relação ao Dólar americano.

a) Pesquise e mostre por meio de cartazes, vídeos ou outras formas, outras moedas que podem ter sido criadas no Brasil assim como o Cocal citado na atividade anterior.
b) Mostre a cotação dessas outras moedas, caso existam, perante o Real e o Dólar americano.


Equipe COM – OBMEP

Voltar para Sala Inicial

Link permanente para este artigo: http://clubes.obmep.org.br/blog/moedas-de-troca-a-moeda-de-um-pais-2/